No Trabalho

Pressão nem sempre cria diamantes: gerenciamento de estresse no trabalho

Pressão nem sempre cria diamantes: gerenciamento de estresse no trabalho

Escrito por Evernote Brasil, em 03 ago 2017

Escrito por Evernote Brasil, em 03 ago 2017

Comentário

O estresse no local de trabalho custa aos empregadores norte-americanos em média $200 bilhões por ano devido à produtividade reduzida e a outros fatores relacionados ao estresse. Assim, é seguro dizer que a antiga máxima “pressão cria diamantes” poderia ser reavaliada.

Apesar de os psicólogos Robert M. Yerkes e John Dillingham Dodson terem descoberto, ainda no começo do século XX, que algum nível de estímulo psicológico aumenta o desempenho, temos que compreender como esse tipo de exaustão funciona psicologicamente para podermos fazer melhor nosso trabalho. Somente então podemos aprender como trabalhar com – ao invés de contra – nossos ritmos de energia biologicamente influenciados.

O que é o estresse?

Especialistas não chegam a um acordo sobre uma definição única, mas o termo pode ser compreendido geralmente como “a percepção psicológica de pressão por um lado, e a resposta a ela do outro lado”.

No escritório, isso pode significar correr para atender um prazo e sentir seu estômago virar do avesso ao se questionar se vai conseguir terminar.

Todos conhecemos o problema, mas o seu impacto pode ser mais penetrante do que aceitamos conscientemente.

Reduza o estresse, mas permaneça atento

Ao contrário da crença comum que o alto estresse nos dá um desempenho melhor, ele na verdade atrapalha, especialmente com tarefas desafiadoras. Por exemplo, se você já esteve sob pressão para concluir um projeto e se sentiu estressado a ponto de esquecer alguma coisa, você passou por altos níveis de esgotamento que estão comprometendo sua memória.

SOMOS MAIS EFICIENTES QUANDO FOCAMOS NOSSA ENERGIA MENTAL EM UMA E SOMENTE UMA IDEIA POR VEZ.

Um estudo de 2014 que entrevistou 22.347 funcionários em 12 países também descobriu que o estresse reduz a produtividade. A pesquisa revelou que altos níveis de estresse resultaram em altas taxas de desengajamento, absenteísmo e alta redução de produtividade. Em outras palavras, a prostração reduz nossa habilidade de ter bom desempenho no trabalho.

O estresse elevado e prolongado também causa um grande dano aos nossos corpos e mentes, contribuindo para condições como pressão sanguínea alta, diabetes, ansiedade e depressão. Felizmente, existem muitas coisas que podemos fazer para aliviar o estresse e melhorar nosso desempenho.

Organize seu dia para ter menos estresse e mais produtividade

Precisamos compreender como nossa energia mental funciona se quisermos minimizar nossa própria estafa mental. Aqui estão cinco maneiras de trabalhar com seu cérebro e suas funções.

  • Foque em uma tarefa por vez

Já está provado que fazer várias tarefas ao mesmo tempo é impossível porque a mente só consegue focar em uma tarefa por vez. Alternar entre as tarefas queima energia mental. Quando nos sentimos sobrecarregados, queremos enfrentar muitos problemas de uma só vez. Porém, estudos mostram que em vez de sermos mais produtivos, acabamos gastando tempo alternando entre tarefas. Apesar de enfrentar uma longa lista de tarefas ou grande projeto, somos mais eficientes quando focamos nossa energia mental em uma e somente uma ideia por vez.

  • Trabalhe em blocos de 45 minutos

Muitos de nós acreditamos que devemos estar focados o tempo todo, mas não é bem assim: pesquisas mostram que a mente humana só consegue focar totalmente por um período de tempo limitado antes de nos distrairmos. Em vez de nos desafiarmos a trabalhar direto para encerrar projetos ou cumprir prazos apertados, podemos dividir nosso trabalho em pedaços menores. Isso garante que estamos maximizando a produtividade e não estamos nos consumindo ao tentar ir além de nossos limites psicológicos.

  • Faça intervalos de 15 minutos 

Existem muitas pesquisas sobre a “rede em modo padrão”, ou mente “em descanso”; elas revelam que o tempo ocioso aumenta a criatividade, auxilia na consolidação da memória e até melhora a tomada de decisão. Permitir a nós mesmos viajar um pouco em partes definidas ao longo do dia nos permite recarregar, dar sentido ao trabalho e manter a resistência.

  • Identifique a sua “hora poderosa”

Você sabia que todos nós temos momentos em que somos mais e menos produtivos, influenciados pelos nossos ritmos circadianos? Por exemplo, a maioria das pessoas atinge o pico da produtividade entre 9h e 11h da manhã, perdendo o foco ao redor das 14h30. Outras são “corujas noturnas”.

Ao identificar quando somos mais produtivos, podemos agendar nossas tarefas desafiadoras para quando tivermos o máximo de alerta e energia cerebral. Se você espera um dia atribulado no trabalho, e se sente estressado sabendoq ue deve concluir tudo, considere mover as grandes pedras durante suas horas poderosas.

  • Alimente-se com comidas nutritivas e energizadoras

Aquilo que comemos influencia diretamente nossas capacidades mentais. Por exemplo, se o açúcar do nosso sangue está baixo, teremos dificuldade em nos concentrar. Se comermos carboidratos simples como massas ou doces, passaremos por um choque negativo de produtividade e energia.

O psicólogo Ron Friedman sugere que para maximizar a produtividade, devemos tomar decisões antes de sentirmos fome, fazer lanches durante o dia e tornar os alimentos saudáveis e cheios de proteína tão convenientes quanto os não saudáveis.

Trabalhe junto com a maré

Ao nos sintonizarmos nas nossas capacidades cerebrais e ritmos circadianos, nossos dias de trabalho podem não parecer convencionais ou abrigar tantas horas como antes. Mas ao compreender nossos ritmos humanos, atingimos o máximo de eficiência, eliminamos o esgotamento, e potencialmente nos tornamos exponencialmente mais produtivos no que importa mais para nós.

Premium

Evernote Premium

Atualize para obter recursos que o ajudam a viver e a trabalhar de forma mais inteligente.

Seja Premium
Ver mais histórias em 'No Trabalho'